Nutrição Integrativa

com Taisi Duarte

Os 6 Suplementos para Neuroinflamação.

cerebro branco com raios de energia entorno, fundo escuro.

A neuroinflamação é um processo complexo associado a várias doenças neurológicas, como Alzheimer, esclerose múltipla, Parkinson, depressão, ansiedade e outras. A crescente pesquisa em neurociência tem revelado que alguns suplementos podem desempenhar um papel significativo na redução da neuroinflamação e, potencialmente, na prevenção e tratamento dessas condições.

Antes que entramos no mérito dos suplementos, vou ressaltar a importância de acompanhar nos exames os níveis da homocisteína. Pois esta é um marcador inflamatório e que sempre elevado prejudica a saúde cerebral, principalmente na inflamação e toxicidade cerebral. O primeiro passo para combater a homocisteína alta é suplementar vitaminas do complexo B, especificamente a B12, B6 e B9.

Outro ponto importante é garantir o consumo de vegetais frescos, frutas, verduras e legumes afim de promover saúde antioxidante e combater a inflamação. Em especial os vegetais arrocheados e as frutas conhecidas como berries que tem um alto poder antioxidante e promovem saúde cerebral.

1. Ômega-3

O Omega-3 é um ácido graxo essencial que desempenha um papel vital no desenvolvimento e funcionamento do cérebro. Estudos têm demonstrado que o consumo de Omega-3 está associado a uma redução da neuroinflamação, devido às suas propriedades anti-inflamatórias. Além disso, esse suplemento promove a proteção das células cerebrais e melhora a plasticidade sináptica, o que pode beneficiar a função cognitiva e reduzir o risco de doenças neurodegenerativas.

Pesquisas sugerem que o Omega-3 pode modular a atividade de citocinas pró-inflamatórias no sistema nervoso central, reduzindo assim a resposta inflamatória descontrolada que contribui para a neuroinflamação. A inclusão deste suplemento na dieta pode ser benéfica para a saúde cerebral e o bem-estar geral.

2. Vitamina D

A Vitamina D é conhecida principalmente por seu papel na saúde óssea, mas estudos recentes têm destacado seu impacto significativo no sistema nervoso central. A deficiência de vitamina D tem sido associada a um aumento da neuroinflamação e a um maior risco de doenças neurodegenerativas.

Esta vitamina desempenha um papel fundamental na modulação do sistema imunológico, inibindo a produção de citocinas pró-inflamatórias no cérebro. Além disso, ela está envolvida na regulação dos genes associados à neuroproteção.

3. Cúrcuma

A Cúrcuma é uma especiaria amarela com propriedades anti-inflamatórias bem estabelecidas. Seu composto ativo, a curcumina, demonstrou a capacidade de atravessar a barreira hematoencefálica e reduzir a neuroinflamação no cérebro. A curcumina age inibindo a ativação de enzimas pró-inflamatórias e a produção de citocinas inflamatórias.

Estudos sugerem que a Cúrcuma pode ser útil na prevenção e tratamento de doenças neurodegenerativas, bem como na melhoria da função cognitiva em geral. Adicionar a Cúrcuma à dieta ou tomar suplementos pode ser uma abordagem promissora para proteger o cérebro contra a neuroinflamação. Sugiro fazer um revezamento com o suplemento de crocus sativus.

4. Magnésio

O Magnésio é um mineral essencial que desempenha um papel crucial em várias funções biológicas, incluindo a saúde do cérebro. Ele tem propriedades neuroprotetoras e anti-inflamatórias, o que o torna um potencial suplemento para combater a neuroinflamação.

A deficiência de magnésio tem sido associada a um aumento da inflamação crônica, e a suplementação pode reverter esse quadro. O Magnésio pode regular a ativação de células imunes no cérebro, reduzindo assim a resposta inflamatória prejudicial. Além disso, esse mineral pode melhorar a comunicação entre os neurônios e apoiar a plasticidade sináptica.

5. Creatina

A Creatina é conhecida por seu papel no desempenho físico e na saúde muscular, mas também possui propriedades neuroprotetoras interessantes. Estudos sugerem que a Creatina pode reduzir a neuroinflamação, melhorando a produção de energia nas células cerebrais e ativando vias antioxidantes.

A Creatina demonstrou potencial na redução da morte de células cerebrais induzida pela inflamação e na melhoria da função cognitiva em modelos experimentais. Seus efeitos positivos no cérebro a tornam uma substância promissora para proteger contra doenças neurológicas relacionadas à neuroinflamação.

6. Coenzima Q10

A Coenzima Q10, também conhecida como CoQ10, é um antioxidante que desempenha um papel crucial na produção de energia celular. Além disso, demonstrou ter efeitos anti-inflamatórios e neuroprotetores.

Aumentar os níveis de CoQ10 no cérebro pode ajudar a reduzir a neuroinflamação, neutralizando radicais livres e inibindo a ativação de vias inflamatórias. Além disso, a CoQ10 tem sido estudada como um possível tratamento para doenças neurodegenerativas, pois pode melhorar a função mitocondrial e proteger as células cerebrais contra danos.

Conclusão

Em resumo, os suplementos Omega-3, Vitamina D, Cúrcuma, Magnésio, Creatina e Coenzima Q10 mostram-se promissores na redução da neuroinflamação e na proteção do cérebro contra doenças neurodegenerativas. No entanto, é fundamental lembrar que a suplementação deve ser utilizada com cautela e sempre acompanhada de orientação profissional.

Os suplementos para a neuroinflamação não retira a responsabilidade de adotar uma dieta equilibrada, rica em nutrientes essenciais, para promover a saúde cerebral e geral, além de fazer acompanhamento profissional multidisciplinar, mudar o estilo de vida, modular o estresse, modular o sono e fazer atividade física.

A neuroinflamação abrange um contexto multicausal e que não se baseia apenas em estilo de vida. Portanto, lembre-se sempre de consultar um médico ou nutricionista antes de iniciar qualquer suplementação, especialmente se você estiver tratando uma condição médica específica.

Leia mais sobre:



Este conteúdo foi útil? Então compartilhe.

Este blog utiliza cookies para garantir uma melhor experiência. Se você continuar assumiremos que você está satisfeito com ele.