Nutrição Integrativa

com Taisi Duarte

Pedras no Rim: Prevenção com a Nutrição.

A litíase renal, mais comumente conhecida como cálculos renais (pedras no rim), é uma condição que afeta milhões de pessoas em todo o mundo. Esses pequenos depósitos de minerais nos rins podem causar desconforto significativo e, em casos graves, cirurgias recorrentes. No entanto, a boa notícia é que a nutrição desempenha um papel crucial na prevenção da formação de cálculos renais. Diferente do que todo mundo pensa, a formação de pedras no rim, tem causas diferentes, como: hipercalciúria (excesso de cálcio), hipocitraturia (níveis baixos de citrato), hiperuricosuria (ácido úrico elevado) e hiperoxaluria (níveis altos de oxalato), porém, em todos os casos a nutrição atua na prevenção.

A Importância da Nutrição na Prevenção de Cálculos Renais

Antes de entrarmos em detalhes sobre as condutas nutricionais para os diferentes tipos de cálculos renais, é importante entender por que a nutrição desempenha um papel tão crucial na prevenção dessa condição. Os cálculos renais se formam quando certas substâncias, como cálcio, oxalato, ácido úrico e citrato, se acumulam em concentrações anormalmente elevadas na urina. Uma dieta inadequada pode contribuir para o desequilíbrio dessas substâncias, tornando a formação de pedras no rim mais provável.

Através de escolhas alimentares adequadas, é possível controlar a excreção de minerais na urina, prevenir a supersaturação de substâncias formadoras de cálculos e, assim, reduzir o risco de cálculos renais. Sendo assim, a nutrição desempenha um papel fundamental na modulação dos fatores de risco que levam à litíase renal.

Condutas Nutricionais para Diferentes Tipos de Pedras no Rim

Hipercalciúria:

A hipercalciúria é caracterizada por níveis elevados de cálcio na urina, o que aumenta o risco de cálculos renais. Então, para prevenir cálculos associados à hipercalciúria, as seguintes condutas nutricionais são recomendadas:

  • Mantenha um aporte adequado de cálcio na dieta, de 800 a 1000 mg por dia, preferencialmente a partir de fontes alimentares de baixo teor de oxalato. O importante é não consumir o excesso, mas também não ter deficiência, o consumo precisa ser equilibrado.
  • Consuma alimentos ricos em magnésio, como banana, folhas verdes, aveia, nozes e sementes, que podem ajudar a inibir a absorção excessiva de cálcio nos rins.
  • Não consumir proteínas em excesso, e para isso é preciso ter acompanhamento nutricional.

Hipocitratúria:

A hipocitratúria ocorre quando os níveis de citrato na urina estão abaixo do normal. O citrato é uma substância que inibe a formação de cálculos. Para prevenir cálculos relacionados à hipocitratúria, considere as seguintes orientações:

  • Aumente o consumo de alimentos ricos em citrato, como frutas cítricas (limões, laranjas) e vegetais de folhas verdes.
  • Beba suco de limão diluído em água, que é uma excelente fonte de citrato.
  • Evite o consumo excessivo de alimentos ricos em sódio, pois o sódio pode diminuir a excreção de citrato na urina.
  • Não consumir proteínas em excesso, e para isso é preciso ter acompanhamento nutricional.

Hiperuricosúria:

A hiperuricosúria é caracterizada por níveis elevados de ácido úrico na urina, o que pode levar à formação de cálculos. Para prevenir cálculos associados à hiperuricosúria, siga estas diretrizes nutricionais:

  • Reduza o consumo de purinas, que são substâncias que se transformam em ácido úrico no corpo. Alimentos ricos em purinas incluem carne vermelha, miúdos, cerveja e frutos do mar.
  • Aumente a ingestão de água para diluir o ácido úrico na urina e promover a excreção.
  • Considere alimentos com baixo teor de purina, como frutas, vegetais e laticínios com baixo teor de gordura.
  • Aumente o consumo de frutas, verduras e legumes.
  • Não consumir proteínas em excesso, e para isso é preciso ter acompanhamento nutricional.
  • Observar e acompanhar o pH urinário.

Hiperoxalúria:

A hiperoxalúria envolve níveis elevados de oxalato na urina, o que pode levar à formação de cálculos de oxalato de cálcio. Para prevenir cálculos relacionados à hiperoxalúria, é importante adotar as seguintes condutas nutricionais:

  • Reduza o consumo de alimentos ricos em oxalato, como espinafre, carambola, beterraba, nozes e chocolate, amêndoas, e castanhas. Afim de reduzir o oxalato nestes alimentos, é possível cozinhar em água e jogar a água fora, ou incluir em preparações com fonte de cálcio, como creme de espinafre. Mas mesmo com estas recomendações, é importante reduzir o consumo.
  • Mantenha uma ingestão adequada de cálcio na dieta, pois o cálcio se liga ao oxalato no trato gastrointestinal, reduzindo sua absorção pelos rins.
  • Aumente a ingestão de água para diluir o oxalato na urina.
Além das Orientações Específicas, Outras Medidas Importantes Incluem:
  • Manter uma hidratação adequada, bebendo água regularmente ao longo do dia.
  • Evitar o excesso de proteína animal na dieta, pois a digestão de proteínas pode aumentar a excreção de ácido úrico e cálcio na urina.
  • Controlar a ingestão de sódio, já que o sódio pode aumentar a excreção de cálcio na urina. E neste caso, é importante ressaltar o sódio dos alimentos industrializados, pois estes são consumidos em excesso.
  • Monitorar a auto ingestão de suplementos vitamínicos e minerais, pois alguns deles podem aumentar o risco de formação de cálculos.

Outro ponto crucial a ser considerado é a individualidade de cada pessoa. O que funciona para a prevenção de cálculos em um indivíduo pode não ser apropriado para outro. Portanto, é importante que as diretrizes nutricionais sejam personalizadas, levando em conta fatores como idade, sexo, peso, estado de saúde geral e, é claro, o tipo específico de cálculo renal.

Além disso, é importante mencionar que, além da nutrição, um estilo de vida saudável também desempenha um papel significativo na prevenção de cálculos renais. A prática regular de exercícios físicos, a manutenção de um peso corporal saudável e a redução do estresse são fatores que contribuem para a saúde renal. O consumo de álcool e tabaco deve ser controlado, pois o tabagismo e o consumo excessivo de álcool podem aumentar o risco de cálculos renais.

Ademais, a educação sobre a importância da ingestão de líquidos não pode ser subestimada. Pois, a desidratação é um dos principais fatores que contribuem para a formação de cálculos renais. A ingestão adequada de água é fundamental para diluir as substâncias formadoras de cálculos na urina e facilitar sua eliminação do organismo. Então, manter-se bem hidratado é uma das medidas mais simples e eficazes na prevenção de cálculos renais.

Conclusão

Em suma, a prevenção da formação de pedras no rim, é uma parte crucial da gestão da saúde renal. E a nutrição desempenha um papel central na modulação dos fatores de risco para a formação destes cálculos renais. Pois, ao adotar uma abordagem nutricional adequada e personalizada, levando em consideração o tipo específico de cálculo, é possível reduzir significativamente o risco. Lembre-se de que é essencial consultar um profissional de saúde e um nutricionista para orientação específica e ajustes na dieta, especialmente se você tiver histórico de cálculos renais ou recorrência.

Portanto, se hidrate, se alimente corretamente, procure um profissional para saber o tipo específico de cálculo e para ter acompanhamento, e adote um estilo de vida saudável.

Leia mais sobre:

Este conteúdo foi útil? Então compartilhe.

Este blog utiliza cookies para garantir uma melhor experiência. Se você continuar assumiremos que você está satisfeito com ele.