Nutrição Integrativa

com Taisi Duarte

Dieta anticâncer: existe?

Dieta anticâncer é a dieta que atua na prevenção. Atua na promoção da saúde. Não existe dieta que cure o câncer, mas existe a que previne.

A denominação da palavra dieta usada neste contexto, é para determinar o padrão alimentar, então quando digo dieta anticâncer, significa padrão alimentar que previna o câncer.

Vamos falar aqui sobre o padrão alimentar que interfira no estado de saúde e que pode acelerar o processo de desenvolver câncer. Mas claro que os cânceres em geral, tem fatores múltiplos de causalidade. Fatores genéticos, estilo de vida, sedentarismo, inflamação crônica, e gatilhos emocionais são alguns deles.

Excluir os ultraprocessados

O primeiro passo para trabalhar na dieta, é evitar, senão excluir, os ultraprocessados. E fazer da base alimentar, uma alimentação natural: com diversidade de alimentos naturais ou minimamente processados.

Isto porque os naturais, que são tudo aquilo que a natureza nos fornece: frutas, legumes, verduras, sementes, oleaginosas e proteínas naturais, são as fontes de nutrientes que nossa saúde precisa. E estes nutrientes são dispostos de uma forma que nosso corpo consegue absorver, isto porque a natureza cria de forma própria para o consumo.

Já os ultraprocessados são alimentos criados pela indústria, que obviamente nosso corpo não foi feito para absorver e nem consumir. A indústria trabalha para promover praticidade, fazendo com o que o alimento permaneça meses na prateleira sem estragar.

Os compostos usados na indústria como conservantes, corantes, antibacteriológicos e químicos em geral, interferem diretamente na nossa saúde. Estes são chamados xenobióticos.

Dentre os xenobióticos ainda temos os agrotóxicos, flavorizantes artificiais, metais pesados e tudo aquilo que não foi feito para nós absorver no modo natural.

Vale dizer que os agrotóxicos estão presentes também nos industrializados, diferente do que a maioria pensa, que tem só nos vegetais. Então além de evitar os industrializados, prefira os vegetais orgânicos.

Estes xenobióticos que causam câncer? Não diretamente, mas influenciam por diversas razões.

Interferência na barreira e genética

Pois eles alteram a permeabilidade intestinal, abrindo portas e deixando nosso corpo vulnerável a partículas indesejadas, diminui a imunidade, e cria um tipo de falta de barreira para todos os outros sistemas, como cérebro, coração, rins e fígado.

Atuam também na modulação genética, ou seja, as vezes temos predisposição genética, mas que com estilo de vida saudável, deixamos os genes silenciados. Com a exposição a estes xenobióticos, favorece a genética a desenvolver doenças (como o câncer).

Alguns estudos mostram associação direta destes compostos com o desenvolvimento do câncer. O mais conhecido é dos que são utilizados nos embutidos, como presunto, mortadela e peito de peru.

Porém não podemos afirmar que nada disto vai causar câncer, porque depende muito do estilo de vida, genética e frequência alimentar.

Cuidado se deve também ao excesso do açúcar refinado, pois além de ser combustível para as células cancerosas, tem todos os outros fatores que traz malefícios a saúde que já é de conhecimento da população.

Em suma, o cuidado com a alimentação, tem que ser em evitar os industrializados ricos em corantes, conservantes e agrotóxicos. Pois estes deixam nosso sistema vulnerável, interferem nos genes que devem ficar silenciados e retiram nossa tolerância imunológica.

Para se prevenir de qualquer doença, incluindo especialmente o câncer, é preciso adotar um estilo de vida saudável, com exercícios físicos, e alimentação abundante e diversificada com os in natura orgânicos e minimamente processados. Longe dos industrializados com compostos que nosso corpo desconhece.

Leia mais sobre:



Este conteúdo foi útil? Então compartilhe.

Este blog utiliza cookies para garantir uma melhor experiência. Se você continuar assumiremos que você está satisfeito com ele.