Nutrição Integrativa

com Taisi Duarte

Manual do emagrecimento: fácil de seguir.

Manual do emagrecimento: funciona para a maioria das pessoas, porém não pode ser generalizado sem levar em considerações as particularidades de cada um. Pois cada um tem suas condições de saúde, doenças crônicas, genética, ambiente estressor, condição de saúde intestinal, doenças autoimunes e estilo de vida. Mesmo que duas pessoas sigam as mesmas orientações de forma assídua, os resultados vão ser diferentes, isto pode até frustrar, mas vale o entendimento de que não somos máquinas e cada corpo humano responde de forma diferente, por isso é preciso ter um olhar integrativo e único para cada um.

Porém temos um manual que gera resultado na maioria, uns menos outros mais. Não é mágica e não é nada a base de medicamentos ou qualquer fator que prejudique a saúde, nem que traga efeitos colaterais.

Conforme a Lei de Pareto, 20% das causas traz 80% de resultado, e nesta linha, no emagrecimento, tem que ser tratado os 20% das causas que geram excesso de peso ou obesidade, para que tenhamos pelo menos 80% de resultado: emagrecer!

Por dentro do manual

Dito isto, tratar os 20%, cria-se o manual do emagrecimento:

– Diminuir os ultraprocessados

                Estes contribuem com alto valor calórico em pouco volume de alimento, não traz saciedade, é rico em gorduras e açúcares, e ainda tem xenobióticos como corantes, conservantes, e agrotóxicos (isso mesmo! Tem agrotóxico nos ultraprocessados). Estes xenobióticos interferem na saúde intestinal e hepática, prejudicando de forma bastante responsiva no metabolismo do emagrecimento. E ainda temos o excesso de sódio, que muitas das vezes traz edema e retenção de líquido.

– Colocar metade do prato de legumes e verduras

                Os vegetais trazem saciedade através das fibras, o que gera uma consequência de comer menos volume de comida, diminuindo o valor calórico da refeição. Além disso, a variedade dos vegetais e folhosos, é o que garante a riqueza de consumo de nutrientes como vitaminas e minerais. Essa variedade traz também, benefício para a microbiota intestinal, pois melhora a diversidade microbiana e equilíbrio entre elas. E isso é responsável por boa parte de saúde, não só na resposta para o emagrecimento.

– Evitar carboidratos refinados: açúcares e doces

                Não é preciso retirar carboidrato da dieta, porque temos fonte de carboidratos naturais, com fibras e energia para sobreviver, como os tubérculos: batatas, inhame, cará, mandioca, mandioquinha… A questão é evitar os refinados, pois quando se trata de açúcares, são apenas fonte de energia, nada mais, são calorias vazias. Não vou nem entrar no mérito da resposta metabólica prejudicial que estes açúcares trazem ao corpo.

– Não ingerir bebida alcoólica

                Muitos já sabem que bebidas com álcool traz malefícios. Neste caso, prejudica a saúde hepática, faz com que o fígado deixe de trabalhar para promover emagrecimento.

O óbvio precisa ser dito:

– Respeitar a fome e a saciedade

                É preciso comer quando se tem fome, e respeitar quando se está saciado. Parece óbvio, mas as vezes o óbvio precisa ser dito. Pois as pessoas beliscam o tempo todo, afim de trazer alento para uma ansiedade ou por outros motivos, ou fazem refeições de forma automática e não respeitam qual a resposta do corpo. Comer com atenção plena ajuda a sair do modo automático e entender os sinais do corpo de fome e saciedade.

Item não obrigatório:

– Jantar proteico

                Isto não é uma regra, mas para as pessoas que tem dias longos de estresse no trabalho, chega em casa com vontade de devorar a casa inteira e descontar na comida toda a necessidade de relaxar. O prato proteico traz saciedade, tira a vontade de comer guloseimas e ainda atua na manutenção da massa magra, o que é bem difícil quando se trata de emagrecimento.

Fatores além da nutrição

O manual do emagrecimento se completa com outros fatores: obrigatoriedade da prática de exercícios físicos; organização na alimentação; gestão do tempo (para que consiga organizar as refeições e o hábito alimentar); ingerir água o suficiente; ingerir chás que mexam no metabolismo; e praticar estratégias nutricionais direcionadas.

Em suma, não são práticas impossíveis, tudo é possível com foco, determinação, disciplina e disposição para mudar o estilo de vida.

Leia mais sobre:



Este conteúdo foi útil? Então compartilhe.

Este blog utiliza cookies para garantir uma melhor experiência. Se você continuar assumiremos que você está satisfeito com ele.