Nutrição Integrativa

com Taisi Duarte

Os 3 adaptógenos naturais que reduzem Cortisol.

raízes de ginseng dentro do prato; fundo azul marinho.

O cortisol é um hormônio crucial produzido pelas glândulas adrenais, desempenhando um papel fundamental em nosso sistema endócrino. Conhecido como o hormônio do estresse, o cortisol é liberado em resposta a situações desafiadoras e ameaçadoras, preparando o corpo para enfrentar as adversidades. No entanto, quando seus níveis permanecem elevados por períodos prolongados, pode resultar em efeitos adversos para a saúde, como distúrbios do sono, ansiedade, ganho de peso e até mesmo comprometimento do sistema imunológico.

Mas, temos algumas plantas medicinais que têm sido amplamente estudadas por suas propriedades para reduzir o cortisol, promovendo o equilíbrio hormonal. Mas mesmo com suas eficiências comprovadas, é preciso adotar um novo estilo de vida, condutas que modulam o estresse e trabalhar terapeuticamente afim de reduzir o estresse, que muitas das vezes está crônico e a bastante tempo.

1. Ginseng siberiano

O ginseng é uma raiz milenar que tem sido utilizada na medicina tradicional asiática há séculos. Existem várias espécies de ginseng, sendo o Panax ginseng e o Panax quinquefolius os mais comuns. Estudos científicos têm demonstrado que o ginseng possui propriedades adaptogênicas, o que significa que ele ajuda o corpo a se adaptar ao estresse e a recuperar o equilíbrio. Essa raiz é conhecida por sua capacidade de reduzir os níveis de cortisol, minimizando os efeitos negativos do estresse crônico.

Pesquisadores têm investigado os mecanismos pelos quais o ginseng exerce sua ação sobre o cortisol. Estudos mostraram que ele interfere nos sinais neurais que estimulam a liberação do cortisol pelas glândulas adrenais. Além disso, o ginseng parece modular a resposta do eixo hipotálamo-hipófise-adrenal (HPA), uma parte crucial do sistema neuroendócrino responsável pela regulação do cortisol. Essa ação equilibradora do ginseng no cortisol pode explicar muitos dos benefícios observados em relação ao estresse e à ansiedade.

E para aproveitar a propriedade adaptogênica na redução do cortisol, orienta-se a suplementação para pessoas com sintomas de estresse e fadiga.

2. Ashwagandha

Outra erva adaptogênica que ganhou destaque recentemente é a ashwagandha, também conhecida como Withania somnifera. Originária da Índia, a ashwagandha usa-se há séculos na medicina Ayurveda para tratar diversos problemas de saúde.

Estudos clínicos mostraram que a ashwagandha pode reduzir significativamente os níveis de cortisol em indivíduos submetidos a situações estressantes. Essa erva parece afetar diretamente as glândulas adrenais, diminuindo a secreção de cortisol em resposta ao estresse. Além disso, a ashwagandha também atua no sistema nervoso central, reduzindo a atividade do eixo HPA, o que contribui para uma diminuição dos níveis de cortisol.

E para aproveitar a propriedade adaptogênica na redução do cortisol, orienta-se a suplementação para pessoas com sintomas de estresse e insônia.

3. Rodhiola rosea

A Rhodiola rosea, é outra planta com propriedades adaptogênicas que tem sido usada em várias culturas tradicionais para aumentar a resistência ao estresse físico e emocional. Originária de regiões frias da Europa e da Ásia, a rhodiola também ganhou popularidade como um suplemento natural para redução do cortisol.

Diversos estudos demonstraram que a rhodiola pode diminuir os níveis de cortisol em situações estressantes. Suas propriedades adaptogênicas auxiliam na modulação da resposta do organismo ao estresse, prevenindo um aumento excessivo da secreção de cortisol. Além disso, a rhodiola associa-se a um aumento da disponibilidade de neurotransmissores que promovem a sensação de bem-estar, ajudando a reduzir os efeitos negativos do estresse crônico no corpo e na mente.

E para aproveitar a propriedade adaptogênica na redução do cortisol, orienta-se a suplementação para pessoas com sintomas de estresse e tristeza.

Conclusão

Em resumo, o ginseng, a ashwagandha e a rhodiola são três ervas com notáveis propriedades na redução dos níveis de cortisol, desempenhando um papel crucial no equilíbrio hormonal e na resposta ao estresse. Suas ações no sistema endócrino, especialmente na regulação do eixo HPA, é objeto de intensa investigação científica e mostram um grande potencial para a promoção da saúde mental e física.

É importante ressaltar que, embora essas ervas apresentem benefícios significativos na redução do cortisol, o tratamento de distúrbios hormonais e do estresse crônico deve-se sempre conduzir com o acompanhamento de profissionais de saúde qualificados. A automedicação e o uso inadequado dessas substâncias podem levar a efeitos indesejados. Consulte sempre um médico, nutricionista ou fitoterapeuta antes de iniciar qualquer suplementação ou tratamento à base de ervas.

Leia mais sobre:



Este conteúdo foi útil? Então compartilhe.

Este blog utiliza cookies para garantir uma melhor experiência. Se você continuar assumiremos que você está satisfeito com ele.