Nutrição Integrativa

com Taisi Duarte

Gordura no fígado: reverta com a alimentação.

Gordura no fígado, de nome técnico esteatose hepática, é a indesejada gordura que se infiltra no fígado. O nível de gordura no fígado, pode ser leve ou acentuada, mas é um quadro reversível.

Já em situações mais graves, evolui para cirrose hepática e não é mais reversível.

Portanto, enquanto denominado esteatose hepática, pode-se trabalhar com estratégias para reverter e voltar a ter um fígado saudável. Estas estratégias abrangem mudar o estilo de vida: aderir à prática de exercícios físicos, perder peso e mudar a alimentação.

Para potencializar o resultado, é preciso fazer o conjunto, não basta só mudar a alimentação ou só fazer os exercícios. É preciso garantir a dupla infalível: alimentação + exercícios.

A perda de peso é uma consequência, mas uma consequência necessária. Pois com a perda de peso, vai diminuir o nível de gordura corporal, melhorar o metabolismo, reduzir inflamação corporal e tira a sobrecarga do fígado.

O que evitar

Como estratégia alimentar, é preciso mudar o padrão alimentar para saudável e natural. Reduzir os carboidratos simples e refinados, gorduras saturadas, frituras, alimentos industrializados, fast food, alimentos calóricos, refrigerantes, sucos artificiais, doces, e evitar o consumo de carne vermelha. Excluir as bebidas alcoólicas, pois o álcool metaboliza-se no fígado.

A alimentação saudável: composta por vegetais frescos, frutas, legumes, verduras, e fibras naturais do próprio alimento (não aqueles industrializados enriquecidos com fibras). A base alimentar deve ser com a diversidade dos alimentos in natura.

Pois a diversidade alimentar dos vegetais, traz riqueza de nutrientes a fim de combater a desnutrição, a deficiência de vitaminas e minerais e tem o contexto de melhorar a flora intestinal. A flora intestinal saudável promove a integridade intestinal, e consequentemente fornece apoio e estrutura para o fígado trabalhar. Não atoa que se estuda o eixo entero hepático (relação do intestino com o fíagado).

Mesmo que a questão tratada é gordura hepática, não pode temer a gordura. Porque existem gorduras boas e ruins, e precisamos das boas para combater a inflamação hepática e melhorar o metabolismo.

O que aderir

Como principal fonte de gordura excelente é o azeite de oliva extravirgem. Este deve ser consumido diariamente, e de preferência que seja de qualidade: acidez no máximo 0,5% e extraído na primeira pressão a frio.

Mas ainda temos: ômega 3, castanhas e sementes. As sementes são ricas em vitamina E, como semente de girassol, semente de abóbora e outras. Esta vitamina é lipossolúvel (precisa de gordura para ser absorvida) e atua diretamente na saúde hepática, com suporte antioxidante.

Quanto ao consumo de proteínas, prefira carnes magras, como frango sem pele, peixes e ovos.

Basicamente não é difícil, basta se alimentar de vegetais frescos, saladas, frutas (priorize as fibras naturais, como as cascas), grãos integrais, ômega 3, azeite de oliva extravirgem, carnes magras e faça atividades físicas. E esqueça os ultraprocessados.

Em alguns casos mais graves, é preciso entrar com suplementação antioxidante para o suporte hepático. Dentre eles temos o reforço da vitamina E e D, resveratrol, ganoderma, cúrcuma, chás amargos, e alguns fitoquímicos de orientação profissional.

Mas aderir a uma alimentação natural já é uma mudança significativa na vida, na saúde e no resultado clínico do fígado e do corpo.

Leia mais sobre:



Este conteúdo foi útil? Então compartilhe.

Este blog utiliza cookies para garantir uma melhor experiência. Se você continuar assumiremos que você está satisfeito com ele.